Minhas opiniões e publicações, expostas neste espaço, são reflexões acadêmicas de um cidadão-eleitor, publicadas ao abrigo do direito constitucional da liberdade de expressão

"Por favor, leia devagar." (Ferreira Gullar)

02 outubro, 2005

Todo castigo é pouco

Ontem 1º de outubro a Folha de São Paulo publicou matéria, reproduzida no site da Federação Nacional dos Policiais Federais – FENAPEF, noticiando o desvio de drogas apreendidas que estavam em depósito na Superintendência da Polícia Federal do Rio de Janeiro (matéria publicada abaixo)
É grave a notícia, até porque se confirmada, aumenta o foco negativo na Polícia Federal, iniciado com o desaparecimento dos R$ 2 milhões da sede da PF no Rio de Janeiro, quando da realização da Operação Caravelas.
A noticiada da suposta substituição da droga por outros produtos de mesma aparência, indicaria não só a existência de ladrões infiltrados nos seus quadros, como também apontaria a existência de traficantes no meio da corporação travestidos de policiais.
Todo rigor é pouco nas duas investigações, até porque se verdadeiras as informações, não estaríamos diante de contornáveis irregularidades administrativas, mas sim de crimes próprios de quadrilhas, que devem ser extirpadas de qualquer órgão policial e punidas com todo rigor da lei.
“Investigações da Polícia Federal na DRE (Delegacia de Repressão a Entorpecentes) da instituição do Rio apontam novos desvios de drogas apreendidas em operações policiais, além do furto de R$ 2 milhões em euros e dólares de duas semanas atrás.
Segundo José Milton Rodrigues, superintendente da PF no Estado, 20 quilos de cocaína apreendidos em uma operação em 2004 foram substituídos por outra substância. A suspeita é que agentes substituíram a droga por pó de mármore ou bicarbonato e que a cocaína tenha sido vendida para traficantes.
Outra suspeita envolve a apreensão de 300 kg de maconha, que foi registrada como tendo sido de 20 kg apenas”.

2 comentários:

Elaine disse...

Tá feia a coisa Ozéas. Eu sempre admirei "os PF's" por conta de vários aspectos e acreditava que talvez essa fosse a instituições policial menos apodrecida em nosso país. Mas...ultimamente, tá difícil.! Vc tem razão, o departamento tem que fazer uma varredura séria para que os bons policiais não fiquem marcados por "esses bandidos autorizados" que infelizmente fazem parte do DPF.
Sds...Elaine

Marcelo Orlando disse...

E eu que ainda botava uma fé-zinha na Polícia Federal, agora estou ficando totalmente descrente...