Minhas opiniões e publicações, expostas neste espaço, são reflexões acadêmicas de um cidadão-eleitor, publicadas ao abrigo do direito constitucional da liberdade de expressão

"Por favor, leia devagar." (Ferreira Gullar)

07 novembro, 2005

Piada sem graça

“O procurador regional dos Direitos do Cidadão do MPF (Ministério Público Federal), Sergio Gardenghi Suiama, e a procuradora substituta, Adriana da Silva Fernandes, obtiveram na justiça nesta segunda-feira liminar que suspende a apresentação do programa "Tarde quente", do humorista João Kleber, por divulgação de homofobia. A ação apresentada pelo MPF e seis ONGs ligadas à defesa dos direitos dos homossexuais e dos direitos humanos pede, no mérito, a cassação da concessão RedeTV!.” Leia Mais

A partir de hoje estão proibidos neste Blog, qualquer manifestação, comentário, atitude e principalmente piadas ou estórias jocosas, envolvendo homosexuais, travestis, lésbicas, heterosexuais, loiras inteligentes (se existirem), loiras burras (ainda que disfarçadas), português, gaúchos, vascaínos, flamenguistas, advogados, mulheres feias, mulherões, homens de pinto grande, homens de pinto pequeno, nordestinos, americanos, Shults, Fristz, Maria, Manoel, Joaquim, Juvenal, judeus, árabes, turcos, argentinos, franceses, bêbados, jogadores de futebol, políticos honestos, políticos, Joãozinho, caçadores, pescadores, mulheres de bunda grande, mulheres sem bunda, mulheres de peitos grandes, mulheres sem peitos, cornos, prostitutas, cabeleireiro, barbeiros, papagaio, TPM, Gordos, magros, marombeiros, vovozinhos, professores, estudantes, presidentes da república e suas mães, senadores e suas mães, deputados e suas mães, marido, mulher, sogra, médicos tarados, dentistas tarados, policiais e outras minorias que se manifestem.

Aqueles que não estiverem classificados em qualquer das categorias citadas, deverão enviar post requerendo suas inclusões. Tão logo nos seja informado a minoria não contemplada, tomaremos providências imediatas visando a inclusão na lista.

Por não possuirmos legitimação e por falta de manifestação das classes, não incluímos no rol anti-piada procuradores e juízes, que até a solicitação dos próprios, poderão ser motivo de alguma piada, pelo menos nesse Blog.

15 comentários:

Elaine disse...

É UM ABSURDO ESSE PAÍS!! CARACA!
GENTE, EU ODEIO O JOÃO KLEBER, MAS SE EU NÃO GOSTO BASTA TROCAR DE CANAL. ESSE É O PAÍS DA HIPOCRISIA.
BEIJOS E BOM INÍCIO DE SEMANA!
SDS ELAINE PAIVA

Jussara disse...

07/11/2005 - Em carta, deputado mineiro detalha caixa dois de Eduardo Azeredo



O deputado estadual de Minas Gerais Rogério Correia (PT) enviou à Executiva Nacional uma carta em que detalha informações que detém sobre denúncias de caixa dois com uso irregular de verbas públicas na campanha à reeleição do então governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo, em 1998. Correia diz que entregou ao Ministério Público de Minas Gerais e ao Ministério Público Federal documentos que comprovam as denúncias.



Leia a carta:




Belo Horizonte, 4 de novembro de 2005





A Ricardo Berzoini

Presidente Nacional do Partido dos Trabalhadores

(Solicito que seja encaminhada cópia aos membros do Diretório Nacional)



Com meus cordiais cumprimentos, venho através desta solicitar à Executiva Nacional do PT que encaminhe pedido à Comissão de Ética do Senado Federal para abertura de processo para cassação do senador Eduardo Azeredo, pelos motivos que passo a expor.



Como deputado estadual em Minas Gerais, venho denunciando a utilização de caixa dois com uso irregular de verbas públicas e de recursos provenientes de empréstimos bancários obtidos, tendo como aval contratos estaduais, na campanha à reeleição do então governador Eduardo Azeredo. Acompanhando o trabalho das CPIs Nacionais, constatei que as irregularidades cometidas naquele ano foram feitas pelos mesmos atores de agora: BMG, Banco Rural, DNA, SMP&B, Marcos Valério, Duda Mendonça e outros.



Passo a remeter resumo das informações que possuo, colocando-me à disposição para relatá-las em detalhes. Reitero que possuo documentos comprobatórios, os quais entreguei ao Ministério Público do Estado de Minas Gerais e ao Ministério Público Federal.



1. No ano de 1996, após o misterioso falecimento de um dos sócios, Sr. Maurício Moreira da Silva, e a entrada de Marcos Valério para a sociedade, a agência SMP&B Propaganda passa a ser denominada SMP&B Comunicação. Com esta mudança, a empresa deixou de ser exclusivamente uma elaboradora de propagandas e passou a atuar na obtenção de recursos para campanhas eleitorais;



2. Entre os dias 25 de maio e 4 de setembro de 1998, o governo do Estado de Minas Gerais promoveu a transferência de R$ 3 milhões para a empresa SMP&B, com conta no Banco Rural. O dinheiro foi repassado através de dois órgãos da administração indireta do Estado de Minas Gerais, as estatais Copasa e Companhia Mineradora de Minas Gerais (Comig). A referida importância foi utilizada para patrocinar o evento denominado “Enduro da Independência”, realizado pelo Estado com os trabalhos da SMP&B. O Ministério Público Estadual entrou com ação civil pública por atos de improbidade administrativa contra o Sr. Eduardo Azeredo e outros dez réus, que foi acolhida e tramitou no Superior Tribunal Federal, retornando recentemente a Minas Gerais para julgamento no Tribunal de Justiça. Não houve licitação e não há comprovação de serviços de publicidade prestados;



3. A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) efetuou diversos pagamentos à SMP&B Comunicação em 1998 no valor total de R$ 2.182.512,72.





Data Valor em Reais
19/6/1998 R$ 57.500,00
4/8/1998 R$ 75.000,00
7/10/1998 R$ 65.613,25
21/10/1998 R$ 1.673.981,90¹
9/12/1998 R$ 53.713,05
18/12/1998 R$ 121.000,00
5/2/1999 R$ 60.704,52
7/11/1999 R$ 75.000,00




-----------------------------------------

¹Valor dividido em quatro pagamentos distintos, efetuados na referida data.




4. Em 22 de outubro, a SMP&B efetuou vários pagamentos a políticos ligados ao ex-governador Eduardo Azeredo. Os mesmos são comprovados por ‘docs’ do Banco de Crédito Nacional e totalizam R$ 1.162.459,28. Ressalta-se também que foram feitos, através de ‘docs’ do Banco Rural, no dia 28 de setembro de 1998, à véspera do primeiro turno, depósitos que totalizam R$ 718.025,00, a pessoas também ligadas ao PSDB, PFL e aliados, com dinheiro proveniente da conta da SMP&B. Os destinatários dos valores foram apresentados por Marcos Valério, no dia 9 de agosto deste ano, à CPI do Mensalão. Ou seja, no dia 21, a Cemig repassou à SMP&B o valor de R$ 1.673.981,90 e a empresa, no dia seguinte, o distribuiu a políticos para ajudar na campanha de segundo turno de Azeredo. Pelo menos os deputados federais Romel Anízio e Custódio Mattos foram beneficiados, além de Paulo Abi-Ackel, filho do relator da CPI do Mensalão, Ibraim Abi-Ackel, e outros deputados estaduais. Para tentar justificar a corrupção eleitoral, a SMP&B apresentou notas frias de gráfica fantasma em nome de laranjas. O presidente da Cemig à época, Carlos Eloi, que autorizou a transferência, era coordenador da campanha de Eduardo Azeredo;



5. O Sr. Cláudio Mourão, ex-tesoureiro da campanha de Azeredo, moveu contra ele uma ação por danos morais e materiais sob a justificativa de que teria contraído dívidas para cobrir gastos da campanha de 1998. Nesta, Mourão afirma que "no epílogo da campanha existia uma dívida de mais de R$ 20 milhões". Na Justiça Eleitoral, o então candidato declarou o gasto de R$ 8,5 milhões, não tendo apresentado dívida alguma. Dá-se, então, como assumiram o próprio senador Eduardo Azeredo, presidente do PSDB Nacional, e Nárcio Rodrigues, que preside o estadual, o uso inequívoco de um imenso caixa dois via empresas de Marcos Valério. A pendenga só teve fim depois que Marcos Valério pagou a dívida do senador com o tesoureiro. O pagamento foi feito por meio do cheque número 7683, de R$ 700 mil (bem inferior à quantia de deputados que hoje respondem em Brasília no Conselho de Ética), emitido por Marcos Valério em 18 de setembro de 2002. O dinheiro saiu de uma conta mantida pelo casal (Valério e Renilda Santiago, sua esposa) na agência Assembléia do Banco Rural em Belo Horizonte. Nos autos do processo que corre na Justiça há um recibo de Mourão acusando a quitação do débito. Coincidentemente, o acerto que Valério fez com Mourão em nome de Azeredo ocorreu numa época em que o senador e o publicitário andaram se comunicando regularmente (53 ligações telefônicas, segundo a quebra de sigilo telefônico de Valério). Apesar do acordo firmado em 2002, Cláudio Mourão voltou à carga contra o senador este ano, ingressando no STF, em 28 de março, com uma ação de indenização por danos materiais e morais. O novo processo de Mourão teve um desfecho igualmente suspeito. Misteriosamente, o ex-tesoureiro retirou a ação, numa decisão tomada em 12 de agosto, semanas após o surgimento dos documentos que apontavam as primeiras ligações de Azeredo com Marcos Valério.



6. O Sr. Nilton Monteiro, que participou, à época, da campanha de Azeredo, denuncia que o valor total das contas da mesma chegou ao valor de R$ 53 milhões. Ele apresentou os ‘docs’ bancários dos repasses aos políticos ligados a Azeredo e tem várias outras denúncias esclarecedoras do "tucanoduto" em Minas Gerais. O próprio Marcos Valério disse em seu depoimento à CPI que existem, além dos já apresentados, nomes "graúdos" de outros receptores dos recursos. A bancada do PT deve pressionar a CPI para marcar a data do depoimento do Sr. Nilton Monteiro. Ele quer contribuir. Deve também ser ouvido novamente o Sr. Cláudio Mourão, que mentiu à CPI. O documento apresentado pelo Sr. Nilton, diferentemente do que afirmou Mourão, é verdadeiro, como demonstrou reportagem da revista Isto É.



7. O Sr. Rogério Tolentino integrou a corte do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Após sua saída do TRE, tornou-se advogado de Marcos Valério e sócio do mesmo na empresa "Tolentino e Melo Assessoria Empresarial". Ele agiu, enquanto juiz eleitoral, influenciado por suas relações com Valério, inclusive na votação da prestação de contas da campanha do ex-governador, o que pode vir a anulá-la;



8. Para tentar esclarecer os fatos, apresentamos na Assembléia Legislativa de Minas Gerais pedido de instalação de uma CPI para apuração de contratos firmados entre as empresas SMP&B Comunicações e DNA Propaganda e outras agências com órgãos públicos em Minas Gerais. A mesma não pôde ser instalada por não termos conseguido recolher o número de assinaturas necessárias, pois os deputados do PSDB, PFL e aliados do governador Aécio Neves não quiseram aderir. Além disto, toda a documentação foi entregue ao Ministério Público Estadual, para o promotor Dr. Leonardo Barbabela (31 - 3250.5046 / 5036) e ao Ministério Público Federal, nas mãos do Dr. Eduardo Morato Fonseca (31 - 2123-9001)



Ressalto que não procedem os argumentos de que tudo se passou em 1998 e o senador foi eleito em 2002. O cheque de R$ 700 mil para "calar a boca" do Sr. Mourão foi de setembro de 2002, próximo à eleição, quando tanto Hélio Costa (PMDB) como Tilden Santiago (PT) se aproximavam de Azeredo nas pesquisas. Apertado, pediu apoio de Marcos Valério para garantir o silêncio do tesoureiro. Certamente, caso a denúncia viesse à tona naquele ano, quem estaria ocupando a vaga no Senado não seria o ex-governador Eduardo Azeredo.



As informações aqui expostas já foram remetidas ao Sr. Osmar Serraglio e tentativas de agendar reunião foram feitas. Porém, não obtive resposta alguma. Restou-me parecer que o relator somente deseja investigar o PT, deixando de lado o que concerne aos tucanos e assando, assim, uma “grande pizza”.



Por tudo isto, o PT tem de solicitar à Comissão de Ética do Senado a cassação do senador Eduardo Azeredo por ser comprovado seu envolvimento com caixa 2, via Marcos Valério, com uso e abuso de dinheiro público. O corporativismo ou justificativa de "governabilidade" da nossa bancada no Senado, ou receio de revide, não pode impedir o Partido de cumprir seu dever.



Me permitam os senadores petistas alertá-los para o fato de que devem reagir e não se acovardar frente aos arroubos tucanos. O Sr. Artur Virgílio, que ameaçou dar uma surra no presidente, precisa ser investigado. Pesquisem sua relação com o Banco do Amazonas e empréstimos pré-eleitorais. A ameaça que ele está sofrendo é de perder o discurso. Por isto anda tão valente.



Investiguem a estatal mineira Furnas e sua atuação em 2002, o maior caixa 2 com dinheiro público do mundo. Financiamento tucano criminoso. Convoquem o Sr. Dimas Toledo para depor. Vai voar pena para todo lado! A Polícia Federal e o Ministério Público sabem do que falam.



Sem mais para o momento, coloco-me à disposição para mais detalhes e com documentos que comprovam tudo o que venho denunciando sobre o senador Eduardo Azeredo.



Atenciosamente,



Rogério Correia

Deputado Estadual – PT

2º Vice Presidente ALMG





Leia também:



Valerioduto abastecia caixa dois do PSDB, dizem jornal e revista

Ozéas disse...

Não vou retirar o comentário da Jussara, é chata, inconveniente e não percebeu que não foi convidada. Mas não vou tirar o comentário.
Vou deixar só para ela ver como está sendo indelicada e inconveniente.
Dou uma sugestão aos amigos leitores que se sintam incomodados como fiquei, simplesmente não leiam. É a mesma idéia da Elaine publicada lá no topo, não censuro, apenas ignoro enquanto não estiver atrapalhando muito.

Marcos disse...

Caro Ozeas :

Piadas de palmeirense , santista, descendente de português, baixinho, gordinho, com cabelo ainda (meu último charme com o mulheril), deveriam ser proibidas por você também, que gente mais sem sentimentos, agora só entre nós, como este João Kleber é chato , aqui em casa ele não entra, nem pela tela Rede TV nem pensar...por aqui já perdeu a concessão faz tempo é só não assistir que está tudo certo...


Abçs

Marcos

Vera Lucia disse...

Ozeas, a Jussara é "fanática do PT", velha conhecida...rsrs. Bjs, o João Kleber não se toucou, levou...rsrs

Marcelo Orlando disse...

Apesar de odiar o João Kleber, acho um absurdo essa atitude... Um retrocesso, censura ridícula.... abços censurados....

Santa disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Santa disse...

Todo tipo de censura já nasce com base na hipocrisia.E, ultimamente, uma onda de pequenos cortes aqui e alí, formas veladas de censura, seja na censura do pensamento, do comportamento, ou econômica). E a sociedade precisa ficar atenta.

Anônimo disse...

Se vc não é preconceituoso, se é uma pessoa de bem, venha para o:

HTTP://OLHOSETERNOS.BLOGSPOT.COM

Alice disse...

rsrs preciso ver onde me ecaixo rs qual grupo rs
Sério ,é estão abrindo uma porta que já foi fechada a muitos anos .
Não suporto ele , não assisto .
Detesto o linha direta tbm sei
que tem um lado de divulgar e ajudar a prenderem ,não gosto , me faz mal ver , nem por isso acho que deve ser tirado , não assisto , é assim ,existe uma coisa meiga chamada " controle remoto" .
Bjins

Saramar disse...

Piada de juiz de futebol ladrão pode?
E piada sobre um país dominado por umas mentalidade medíocres e retrógradas que teimam em ressuscitar a prática infame da censura?

Beijos

Jacaré Doido disse...

Essa gente não tem o que fazer não!? Haja paciência, o país pegando fogo e eles se preocupando com isso!

Nemerson Lavoura disse...

Céus, o que esses procuradores e juízes estão aprendendo na faculdade de direito ? Será que já existem aulas de totalitarismo politicamenet correto ?

Teoria geral do totalitarismo PC
Totalitarismo politicamente correto I
Totalitarismo politicamente correto II

Ricardo Rayol disse...

O Joao Kleber é podraço.

Anônimo disse...

I have been looking for sites like this for a long time. Thank you! » » »