Minhas opiniões e publicações, expostas neste espaço, são reflexões acadêmicas de um cidadão-eleitor, publicadas ao abrigo do direito constitucional da liberdade de expressão

"Por favor, leia devagar." (Ferreira Gullar)

21 novembro, 2005

Batendo o ponto (de um fôlego só)

Depois de um longo período de dois dias sem postar, volto lendo e repassando, que a propósito é o compromisso do próprio Blog, “repassar de forma mais democrática o que nos passam por e-mail e o que encontramos por ai. Se for para beijar, beijemos, se for para bater, que seja com força”.

Curtas de Migalhas*

"A classe política - No Brasil ela é em geral mal vista, o que põe em risco a causa democrática." Miguel Reale (O Estado de S. Paulo, 19/11)

"A crise ético-política representa deságio na credibilidade da diplomacia de Lula." Celso Lafer (O Estado de S. Paulo, 20/11)

"A oposição mixou! Se ainda é tempo, pelo menos procure se unir, antes que o bimbalhar dos reais orçamentários acabem por devastar os seus redutos, como vem acontecendo." Marcelo Pimentel, (Correio Braziliense, 21/11/05)

"Abre-se um discurso contra políticos e instituições. Procura-se envolver os estratos sociais da base da pirâmide, porque a classe média tem o poder de irradiar influência nas margens. E assim começa uma 'revolução silenciosa', que poderá transformar-se num fator decisivo para o rearranjo institucional no Brasil." Gaudêncio Torquato (O Estado de S. Paulo, 20/11)

Nada de novo sob o sol

Na vida política não há do que se reclamar, tradição em impunidade e negociatas desde a fundação do mundo.

"O presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), arquivou hoje a denúncia de crime de responsabilidade contra o presidente Fernando Henrique Cardoso pela acusação de ter liberado verbas para deputados em troca do arquivamento da CPI da Corrupção e que foi apresentada por cinco juristas há uma semana." (25/5/2001)


“O sol nasce, e o sol se põe, e corre de volta ao seu lugar donde nasce.
(...)
O que tem sido, isso é o que há de ser; e o que se tem feito, isso se tornará a fazer; nada há que seja novo debaixo do sol “. (Eclesiastes 1: 5 e 9)




Arquivos do regime

Passados 20 anos finalmente vou matar uma curiosidade, poderei saber o que consta sobre alguns amigos militantes da época de movimento estudantil, bem como do antigo Partidão, nos arquivos da ditadura.
O acesso aos arquivos poderá ser feito a partir das informações que estão sendo transferidas à Biblioteca Nacional, e tem previsão de estar completa em 31 de dezembro.
Com a transferência das informações referentes ao período de 1965 a 1985, poderei checar o “quem-é-quem” no antigo regime, inclusive meu nome, se é que alguém registrou alguma estória sobre um modesto, mas dedicado jovem comunista.


Pobre, preto e puta

O Blog Beth7ka Brasil, link recomendado ao lado, publicou a seguinte matéria:


“O Juiz Ronaldo Tovani, 31 anos, substituto da Comarca de Varginha, ex-promotor de justiça, concedeu liberdade provisória a Alceu da Costa (vulgo "Rolinha"), preso em flagrante por ter furtado duas galinhas e ter perguntado ao delegado "desde quando furto é crime neste Brasil de bandidos?".O magistrado lavrou então sua sentença em versos.

Na íntegra, abaixo, a "sábia " decisão:


No dia cinco de outubro / Do ano ainda fluente / Em Carmo da Cachoeira / Terra de boa gente / Ocorreu um fato inédito / Que me deixou descontente. / O jovem Alceu da Costa / Conhecido por "Rolinha" / Aproveitando a madrugada / Resolveu sair da linha / Subtraindo de outrem / Duas saborosas galinhas. / Apanhando um saco plástico / Que ali mesmo encontrou / O agente muito esperto / Escondeu o que furtou / Deixando o local do crime / Da maneira como entrou. / O senhor Gabriel Osório / Homem de muito tato / Notando que havia sido / A vítima do grave ato / Procurou a autoridade / Para relatar-lhe o fato. / Ante a notícia do crime / A polícia diligente / Tomou as dores de Osório / E formou seu contingente / Um cabo e dois soldados / E quem sabe até um tenente. / Assim é que o aparato / Da Polícia Militar / Atendendo a ordem expressa / Do Delegado titular / Não pensou em outra coisa / Senão em capturar. / E depois de algum trabalho / O larápio foi encontrado / Num bar foi capturado / Não esboçou reação / Sendo conduzido então / À frente do Delegado. / Perguntado pelo furto / Que havia cometido / Respondeu Alceu da Costa / Bastante extrovertido / Desde quando furto é crime / Neste Brasil de bandidos? / Ante tão forte argumento / Calou-se o delegado / Mas por dever do seu cargo / O flagrante foi lavrado / Recolhendo à cadeia / Aquele pobre coitado. / E hoje passado um mês / De ocorrida a prisão / Chega-me às mãos o inquérito / Que me parte o coração / Solto ou deixo preso / Esse mísero ladrão? / Soltá-lo é decisão / Que a nossa lei refuta / Pois todos sabem que a lei / É prá pobre, preto e puta... / Porisso peço a Deus / Que norteie minha conduta. / É muito justa a lição / Do pai destas Alterosas. / Não deve ficar na prisão / Quem furtou duas penosas, / Se lá também não estão presos / Pessoas bem mais charmosas. / Afinal não é tão grave / Aquilo que Alceu fez / Pois nunca foi do governo / Nem seqüestrou o Martinez / E muito menos do gás / Participou alguma vez. / Desta forma é que concedo / A esse homem da simplória / Com base no CPP / Liberdade provisória / Para que volte para casa / E passe a viver na glória. / Se virar homem honesto / E sair dessa sua trilha / Permaneça em Cachoeira / Ao lado de sua família / Devendo, se ao contrário, / Mudar-se para Brasília!!!”

13 comentários:

Elaine disse...

Demais essa sentença!! Mas é verdadeira? Putz nem acredito!
Se for vamos é bom que todos publiquem esse texto.
Nossa!
Beijos...Elaine Paiva

Marcos disse...

Caro Ozeas :

Não paro de rir, se mandar ladrão de galinha para Brasilia vai fazer concorrência com as raposas de lá, não vai dar certo....

Abçs

Vera disse...

Querido Ozéas:
Que bom que voltou! E voltou afiadíssimo!! Beijos de fã.

Saramar disse...

Ozeas, bom dia.
Seu descanso o tornou ainda melhor, se isso for possível.

Que delícia essa sentença. Ri demais, apesar da seriedade da questão.

Muito interessante e correta a frase do Marcelo no Correio.

Obrigada. O post está, como sempre perfeito.

Beijo

Saramar disse...

Ozeas, bom dia.
Seu descanso o tornou ainda melhor, se isso for possível.

Que delícia essa sentença. Ri demais, apesar da seriedade da questão.

Muito interessante e correta a frase do Marcelo no Correio.

Obrigada. O post está, como sempre perfeito.

Beijo

luma disse...

Voltou com a corda toda! Excelente! Beijus

Jacaré Doido disse...

Grande post.
Pobre, preto e puta é definitivamente um dos maiores problemas da nossa sociedade, a impunidade certa nos crimes cometidos pela eleite de plantão.

Ricardo Rayol disse...

Amigo Ozeas, isso que chamo de cornucópia de informações. Post maravilhoso.

Lata Mágica disse...

Oi professor!
Estamos correndo porque a internet é paga:)))
Vá no Lata Mágica, temos uma foto nova e uma matéria que saiu no site do gauchinho.
Nosso abraço de sempre.

N. Cotrim disse...

Parece piada mas é sério. A história é verídica, mesmo. Mas por trás dessas palavras salpicadas de humor está um juíz de visão. Coisa rara por aqui... Onde já se viu prender ladrão de galinhas num lugar em que os tubarões fazem a festa???

Amigo Ozéas, um forte abraço.

Serjão disse...

Rapaz, grande post e grandes versos. Obrigado pelo comentário lá em casa sobre um um assunto que nem era meu. Agradeço o interesse. Abraços Serjão
Em tempo: Pena que vc não provou a empada. (rsrsrs) Gosto muito de Arraial, para mim a melhor cidade da Região dos Lagos e em especial a deliciosa Prainha.

Marcelo Orlando disse...

Olá Ozéas!
Se for pra bater que valha a pena!!
Nossa! a sábia decisão do Juiz (em verso e prosa) é show!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Alice disse...

Muito bom !!!
bjins