Minhas opiniões e publicações, expostas neste espaço, são reflexões acadêmicas de um cidadão-eleitor, publicadas ao abrigo do direito constitucional da liberdade de expressão

"Por favor, leia devagar." (Ferreira Gullar)

17 janeiro, 2006

Voto Útil


Os amigos que acompanham o Blog devem ter percebido (espero!) que durante os últimos cinco meses defendi o impeachment do operário-meu-patrão.

No Blog coloquei inclusive um banner no espaço destinado a “Campanhas e Direitos”, em que esgorjava o dito cujo, que se perceberem já foi retirado.

Perdi, perdemos, sou bom perdedor. Sei que objetivamente não há condições do afastamento do operário-meu-patrão, apesar dos pesares, a “máquina” foi mais forte e como cantava o poeta, “mas eis que chega a roda-viva e carrega o destino pra lá”.

Assim, o Blog abandona a tese do impeachment e encampa a do “voto útil”. Votar útil pelo Brasil é não ter medo ou vergonha de dizer "não", votar útil é votar no “seu” candidato no primeiro turno e, se necessário, votar num eventual segundo turno “contra elle”.

Sei que muitos amigos questionam esse posicionamento, acham que combinações eleitorais podem nos deixar num segundo turno ente a forca e a guilhotina, ou como diria o amigo
Serjão no seu Blog, entre o jiló e o quiabo. Mas não podemos ter medo, por baixo da água podre do esgoto corre água limpa, não há espaço para o nojo, temos que por a mão na água suja para chegar no fundo mais limpo.

Sou da época da redemocratização do país e lembro bem a dificuldade que foi convencer ao eleitor que entre Miro Teixeira, candidato pelo PMDB, herdeiro do patrimônio político populista do Chagas Freitas no Rio de Janeiro e Moreira Franco, candidato do PDS, apoiado inclusive em palanques pelo general Figueiredo, havia uma diferença, e quanta diferença.

Política se faz com compromissos, e o compromisso naquele momento era a redemocratização do país. Perder as eleições no segundo Estado da Federação para o governo militar poderia representar alguns anos de atraso em todo o processo, não poderíamos ter medo, era Miro ou Moreira, não deu outra, deu Brizola.

A vitória do Brizola não era bem a prevista na fórmula acima indicada, mas apesar dos pesares, foi de grande valia para restauração da democracia. Assim é a política, muitas vezes os surpreende.

Volto a questão do “voto útil”. O que é mais importante hoje para o Brasil? Essa resposta deverá ser dada com qualquer configuração que surja num eventual segundo turno. E agora, vou para praia me indignar e esbravejar pelos próximos quatro anos, dizer em alto e bom tom “eu não tenho nada com isso”, ou vou cobra meu voto e minha cidadania exercida?

O Brasil não merece mais quatro anos, ou quem sabe mais, desses salteadores de sonhos. O Blog respeita os defensores do voto nulo, mas nega tal proposição por pura convicção democrática.

7 comentários:

Saramar disse...

Ozeas, subscrevo o inteiro teor do post. Voc~e foi direto e certeiro.
Parabéns.
Chega de omissão, chega de ficar só falando. Nosso papel, como cidadãos, é escolher, é separar o joio do trigo.

Beijo

Ricardo Rayol disse...

Amigo Ozeas estou mais para uma campanha de voto nulo ou em branco do que voto util

Elaine disse...

Amigo, confesso que cheguei a pensar em voto nulo, mas depois fui amadurecendo melhor essa idéia e cheguei a conclusão que o voto nulo é uma atitude covarde. É preciso tomar uma posição, dando certo ou não. Se não fizermos assim, continuaremos estagnados nas mãos desses políticos nefastos.
Sds...Elaine
PS: Sm contar a dinheirama que seria gasta caso o voto nulo vencesse.

Serjão disse...

Amigo Ozéas. Obrigado pela Citação. Esclarecendo
1) Também sou a favor do voto útil quendo ele for possível
2) Também sou a favou da não anulação do voto e eu mesmo só o fiz duas vezes. Mas defendo o direito do sujeito politizado anular seu voto, sem patrulhas
3) Parabéns por sua resposta lá no Blog. Vc foi o único que realmente escolheu entre Garotinho e Lula. O resto ou teceu louvores ao ato de votar mas na hora de escolher, tirou da seringa ou afirmou que anularia o voto
Em tempo: garotinho nunca mais.

Nat disse...

Ozéas,

Também defendo o voto útil, mas confesso que não sei o que faria se tivesse que olhar para a urna eletrônica no segundo turno apontando Lula e Garotinho, ou outras opções de igual teor. Faço o mea culpa aqui...

Mas acredito também que possamos trabalhar para prevenir que ocorram catástrofes como essa.

Espero que tenhas aproveitado a praia, com sol a pino! (risos)

Bjs

Vera disse...

Perfeito mestre Ozéas:
Agora é investir no voto útil, já que se faz tarde para o impeachment, (o sonho que ficou...). Mas que venham as punições merecidas para os salteadores é o que vamos continuar cobrando. Falei demais...rsrs!Bjs

Alice disse...

Tbm concordo com o voto útil e tbm acho que devemos fazer nossa listinha , com o nome de Deputados e Senadores levantando lista de presença e " trabalho desenvolvido ", principalmente os que receberam o " suposto mesnsalão " , os que renunciaram e os integrantes da CPI e começar a enviar email .
Trabalho da formiguinha :)
bjins