Minhas opiniões e publicações, expostas neste espaço, são reflexões acadêmicas de um cidadão-eleitor, publicadas ao abrigo do direito constitucional da liberdade de expressão

"Por favor, leia devagar." (Ferreira Gullar)

17 junho, 2006

Quanto custa?


Em artigo do Engenheiro Amílcar Brunazo Filho, sob o título “A SEGURANÇA DO VOTO NA URNA ELETRÔNICA BRASILEIRA”, insistimos no debate quanto ao voto eletrônico.

O Blog já postou por duas vezes o assunto e, sem querer ser repetitivo, trás novamente o assunto a tona. Afinal de que adianta lutar, se no final corre-se o risco de já haver vencedor acertado com a compra de milhões de votos.

"O Brasil informatizou o voto em todas as etapas de uma eleição mas isto não indica que estamos na linha de frente no domínio desta tecnologia e sim que ultrapassamos esta linha de forma imprudente e precipitada. Neste artigo é feita uma análise da segurança do voto na urna eletrônica brasileira para demonstrar que esta não garante o direito do eleitor ao voto secreto e à apuração honesta. É uma questão tanto técnica quanto jurídica. Conclui-se que a implantação do voto eletrônico necessita de melhor debate no Brasil, como tem ocorrido no resto do mundo, e propõe-se que este assunto seja melhor discutido pela universidade brasileira".
Leia Mais

15 comentários:

Jacaré Doido disse...

Ozéas, isso é simplesmente assustador! Assunto seríssimo. Sempre tive uma pulga atrás da orelha, não sei não heim...

luma disse...

Ozéas, morri na placa mãe e estou procurando uma igual ou compatível. Espero que a minha máquina não morra inteira!
Pra engrossar o coro leia: [http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=1552] artigo que fala sobre a fraude nas eleições do jornalista Osvaldo Maneschy.
Bom fim de semana! Beijus

vera disse...

Este assunto é de muita valia e discussão, por isso recomendo a visita ao site http://www.votoseguro.org

vera disse...

TRISTEZA... O gênio do humor, Bussunda se calou para sempre.

Ozéas disse...

Luna e Vera, outro endereço que trás muitas outras questões sobre o voto eletrônico está em
http://paulocastelani.spaces.msn.com/

Santa disse...

Ozéas,
Vc não está se petindo, a matéria é que merece toda atenção.

Bjs

Serjão disse...

Pois é Ozeas. O que eu não sei é se o voto em cédulas teria mais segurança. (enquanto o Voto para presidencia do vasco for em papel o Eurico ganha sempre). O ideal é que houvesse os dois processos simultaneos. O Eletrnico e o manual. É coisa para quem entende de informática.

Ozéas disse...

Serjão, uma simples providência ajudaria bastante. Voto eletrônico com ele impresso e depositado numa urna para futura conferência se necessário.
Igual a saldo de maquina de banco, você vê o saldo e imprime.
Não se perderia em nada com a utilização desse processo.
Isso para começar a parecer ser sério.
Abç

Lata Mágica disse...

Professor Ozéas,

Estamos com uma nova exposição no Blog da Lata Mágica. Contamos com a sua visita.Um abraço.
William&Odilene

Alexandre, The Great disse...

Professor Ozéas.

Também engrosso a legião dos céticos: o voto eletrônico é volátil, como qualquer dado eletrônico. Os bancos vivem gastando fortunas para aumentar a segurança desta verdadeira "peneira" que é a informática. A cada dia são descobertas novas tags e códigos que permitem acessar e modificar dados. Isto é algo incontrolável.

Seu comentário sobre a impressão do voto após sua digitação é uma boa alternativa. Que tal colhermos 1 milhão de assinaturas?

P.S. voltarei assim que puder lá no meu blog.

Brasil, sil..., sil..., silll!!!

Anônimo disse...

Novo laudo da Polícia Federal indica que lista de Furnas é autêntica

Data de Publicação: 17 de junho de 2006

CAIXA 2

Tucanos voltam a ficar na mira da Lei

A Polícia Federal confirmou ontem a autenticidade da chamada "lista de Furnas", documento de cinco páginas que registra supostas contribuições de campanha, num esquema de caixa dois, a 156 políticos durante a disputa eleitoral de 2002. No total, eles teriam recebido R$ 40 milhões.

Segundo a assessoria da direção geral da PF, em Brasília, perícia do INC (Instituto Nacional de Criminalística) concluiu que a lista não foi montada e que é autêntica a assinatura que aparece no documento, de Dimas Toledo, ex-diretor de engenharia de Furnas, empresa estatal de energia elétrica. A PF informou, contudo, que não tem como atestar a veracidade do conteúdo da lista. Os papéis citam empresas que teriam colaborado para um caixa dois administrado por Dimas Toledo.

Entre as campanhas eleitorais supostamente abastecidas pelo esquema estão as do então governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, hoje candidato à Presidência pelo PSDB, do ex-prefeito de São Paulo José Serra (PSDB), atual pré-candidato ao governo paulista, e do atual governador mineiro, Aécio Neves (PSDB). As campanhas em 2002 teriam recebido, respectivamente, R$ 9,3 milhões, R$ 7 milhões e R$ 5,5 milhões

AZIMUTH disse...

Realmente, esse assunto é sério e é preciso pensar muito sobre a solução eletrônica. Todos sabemos que qualquer sistema informatizado do mundo, por mais complexo e seguro que seja, tem sempre um ponto fraco, uma porta dos fundos, sei lá. E pelo menos uma pessoa tem conhecimento dessas fraquezas e pode agir quando quiser ou então ser corrompido por outros e fazê-lo: o programador do sistema. Já pensou?
Abs

+ Kazzx + disse...

Caro Ozeas,

Relendo meus últimos posts me dei conta que estou bem azedo mesmo, semana dificil, mas nada que acordar as 5:00 da manhã e correr por pelo menos 90 minutos todo dia não cure....obrigado pelas palavras e pelo alô....

ABçs e bom domingo

Walter Carrilho disse...

Alé de trocar as urnas, poderíamos trocar o povinho vesgo que insiste em votar nas Antas. Já ajudaria horrores...

Aluizio Amorim disse...

Ozeás,

coincidentemente postei agora à noite post semelhante ao seu. E foi através da dica do Sombr4 que vim até aqui. Realmente coincide com o postei no meu blog. Vou entrar nessa campanha pela segurança do voto. Tem de haver uma forma de extrair comprovante que o eleitor poderia verificar e depois colocar numa urna que seria lacrada e guardada pela Justiça Eleitoral. No meu post lembro o episódio de Brizola, no Rio.

Abs
Aluízio Amorim
http://oquepensaaluizio.zip.net