Minhas opiniões e publicações, expostas neste espaço, são reflexões acadêmicas de um cidadão-eleitor, publicadas ao abrigo do direito constitucional da liberdade de expressão

"Por favor, leia devagar." (Ferreira Gullar)

17 dezembro, 2005

O preço do silêncio


Feroz combatente pelas mudanças estruturais e ideológicas no Partido dos Trabalhadores, tendo inclusive abandonado a disputa à presidência do partido, por questões apresentadas como éticas, o ex-ministro Tarso Genro tem andado muito calado, já vai tempo que não vejo seus comentários sobre a nova executiva eleita no partido, bem como, também não lembro de nenhum comentário quanto a degola do Zé Dirceu.

A propósito, Cláudio Humberto escreveu essa semana na sua coluna, que Genro admitiu ter sido convidado a ocupar a vaga do ministro Carlo Velosso no STF, que se aposenta compulsoriamente em janeiro.

Como diria o cantor sertanejo:


“E se dia dia a gente briga / de noite a gente se ama / é que nossas diferenças / acabam no quarto / em cima da cama”

6 comentários:

Santa disse...

Essa promiscuidade é a cara do governo.

Serjão disse...

A única coisa verdadeira que o Garotinho falou certo na Vida - "O PT é o partido da boquinha"

Vera disse...

Vai ver que a filha dele, o calou para sempre....rsrs. Bjs um montão!

Ricardo Rayol disse...

cala boca terta... rs

Saramar disse...

Mais promíscuos que certas meninas de uma certa promotora de eventos.

Jacaré Doido disse...

Ele está que nem gambá, se fingindo de morto.