Minhas opiniões e publicações, expostas neste espaço, são reflexões acadêmicas de um cidadão-eleitor, publicadas ao abrigo do direito constitucional da liberdade de expressão

"Por favor, leia devagar." (Ferreira Gullar)

13 agosto, 2006

Perplexidade

Leio com perplexidade a notícia que a organização criminosa autodenominada Primeiro Comando da Capital – PCC, após o seqüestro de dois funcionários da Rede Globo, um repórter e um auxiliar-técnico, conseguiu junto a emissora veicular a exibição de um vídeo, com cobranças referentes a mudanças e melhorias no sistema carcerário do país. (Leia toda a matéria)

O
comunicado do PCC foi nitidamente redigido por pessoa(s) com conhecimentos da legislação e compromissos jurídico-ideológico, quem milita no ramo sabe e conhece bem o significado de cada palavra posta, especialmente quanto ao posicionamento garantista ou mesmo abolicionista de seu(s) autor(es) em face do Direito Penal, portanto, não é uma simples nota de revolta ou vingança de um bando, mas muito mais, é uma declaração política de quem passou a entender que se tornou força organizada dentro do caldeirão de forças presentes no Estado.

Como características das organizações criminosas, ensina a doutrina que alguns componentes devem estar presentes: a) Hierarquia: existência de uma linha de comando e disciplina na execução das tarefas determinadas; b) Envolvimento das atividades criminosas com as instituições públicas: corrupção e participação de políticos com membros das organizações; c) Atividade de lavagem de dinheiro: investimentos em negócios e bens que servem de fachada e garantia dos lucros auferidos.

Também destacamos doutrinariamente as características dos grupos terroristas: a) Natureza indiscriminada: todos, em potencial, podem ser alvos ou inimigos da “causa”; b) Imprevisibilidade e arbitrariedade: não é possível saber onde e quando ocorrerá um atentado; c) Gravidade ou espetacularidade: é a crueldade com que são perpetrados que os distingue no inconsciente coletivo; d) Caráter amoral e de anomia: desprezam os valores morais vigentes, alegando-os manipulados pelo governo.

Cremos não haver dúvida que todos os elementos apontados estão mais que presentes no perfil do PCC. Cremos também que os últimos três ataques ao Estado de São Paulo, orquestrados pelo PCC, bem demonstram sua organização e importância no cenário nacional, quando nas três oportunidades a sigla foi recebida, ainda que pela porta dos fundos, pelo representante máximo do executivo daquele Estado, ocasiões em que foram seladas tréguas, através de processos de negociações, que nem mesmo a ONU vem conseguindo no conflito Israel X Hezbollah, com tamanha efetividade.

Inicialmente o que era uma guerra silenciosa, sempre negada pelas autoridades responsáveis, se faz cada vez mais visível e barulhenta para a sociedade, inclusive ocupando espaços com conteúdo apologético na própria rede televisiva aberta, ainda que a custa de extorsão, cujo objeto ameaçador foi a vida de dois de seus funcionários. A propósito, a prática da utilização de reféns como instrumento coator à divulgação de pronunciamentos políticos é própria dos grupos terroristas ou das forças guerrilheiras que, tal como no “comunicado oficial” da facção criminosa, busca jogar a sociedade contra as instituições. Diz o manifesto em seu parágrafo final: “Deixamos bem claro que nossa luta é com os governantes e policiais, e que não mexam com nossas famílias que não mexeremos com as de vocês. A luta é nós e vocês”.

A própria declaração de guerra do PCC ao poder público, vem progressivamente sendo feita em momento de rara oportunidade política, às vésperas das principais eleições do país. Não há quem nos convença em contrário, que por trás dos movimentos orquestrados pelo PCC, está a fragilidade do ano eleitoral no que tange a uma reação mais contundente por parte do Estado, diante das atitudes desenvolvidas pelo Comando. São atos e fatos que devem ser vistos com olhos de quem quer ver.

Está declarada a guerra, e não sou eu quem o diz. “O promotor Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), José Reinaldo Guimarães Carneiro, afirmou neste domingo que São Paulo está ‘em guerra civil contra o PCC’".

9 comentários:

Serjão disse...

Olha Ozeas, eu concordo com a sua avaliação de que um limite foi ultrapassada e, concordo também, que uma nação tem que ter uma política desta mesmo, de não negociar com o terrorismo. A Globo é uma entidade privada que foi chantageada. E não havia tempo hábil para nenhuma ação contrária. Continuo afrmando que ninguém se responsabilizaria por um cadáver. Quanto a discordar de mim, é uma grande honra debater com vc que eu sei que não tem o rabo preso por amarras partidárias,
Um grande abraço

Ricardo Rayol disse...

Caro mestre Ozeas, conseguimos arrumar nossa FARC. Mas ao contrário da selva verde estão mocozados na selva de pedra. Implodir essa organização deve ser prioridade. Um grande abraço pelos dia dos pais.

Alexandre, The Great disse...

Professor Ozéas.

Até agora não vi nenhuma autoridade eclesiástica, ou ONG defensora dos "direitos humanos" se manifestar à favor da família do jornalista e contra os criminosos.

Você viu?

Nesse mister, infelizmente, tenho que concordar com um artigo do Ângelo da CIA: o ESTADO tem que reagir de forma "desproporcional" a este ato de terrorismo. Não é admissível tibieza neste momento, independentemente do ano eleitoral, pois o precedente avançará sobre qualquer um que assumir o Governo.

Elaine disse...

Ozéas, vou postar aqui a mesma resposta que deixei no Rayol.
O PCC e todos os "comandos" encontraram uma nova forma de se impor. Não vai demorar muito veremos na televisão jornalistas e outros profissionais sendo mortos ao vivo como acontece lá fora.
Vamos aguardar e ver no que vai dar essa decisão da emissora.
Sds...Elaine

Blogue da Magui disse...

Vc se lembra, no final do governo FHC , o que o PT fez para desestabilizar o Brasil e o molusco ganhar. Eu nao duvido de nada.Feliz das geracoes futuras que ficarao livres dessa geracao que fez tanta violencia nas populacoes civis.

vera disse...

Mestre Ozéas: Postei importante vídeo onde César Maia faz um relato importante sobre América Latina, gostaria que o assistisse. :-) bjs fã

Alice disse...

Com atraso Ozéas ( sorry ) ,que vc tenha tido um feliz dia dos pais .
acabei de comentar no Voxlibre e se permite ,vou colar o meu comentário ,não veja como indelicadeza , mas como o post é o mesmo assunto ( infelizmente ) .
Além de indignada , fiquei apavorada , parecia matéria da CNN qdo mostrava o Iraque , que sequestravam os jornalistas , depois degolavam , que horror :( .
O meu medo maior , que isso foi só o começo , já comentei lá no Ricardo , que no meu curso ,os trabs e provas são marcadas com a observação ,se não tiver ataque aos ônibus ,sexta a noite algumas Instituições não tiveram aula , fecharam , pq tinha ameça de bomba , se era verdade ou não , ninguém ficou lá esperando para ver .o meu medo que a Sociedade se acostume com td isso , como tantas outras coisas que acabamos acostumando .Infelizmente semana que vem , ninguém mais vai lembrar do sequestro , até que ocorra outra ,para outro comunicado dessa facção .Os que podem fazer alguma coisa ,não parecem tão sensibilizados

Alice disse...

Onde está o pacote que seria votado , qdo do 1º ataque ? está na gaveta ,eles estão protegidos .
Nossas casas viraram prisões ,desde cerca elétrica , cameras, cães ,etc .
Esse é o país do futuro , oferecido :( ,meu sonho de consumo um dia morar em Portugal ( talvez lá não seja melhor que aqui ,mas não escuto nos noticiários os absurdos que acontecem aqui ) .
Bom dia prá vc :)
Bjns

Star disse...

Ozeas,

Só posso aplaudir seu post, pena que os formadores de opinião tão encantados com a esquerda e com os criminosos não vejam a realidade.